Santa Bárbara, devoção e fé.

0
387

 

Santa Bárbara nasceu na cidade de Nicomédia na região da Bitínia, onde hoje se localiza a cidade de Izmit, na Turquia, às margens do Mar de Mármara. Bárbara viveu no final do Século III. Foi uma bela jovem, filha única de Dióscoro, um rico e nobre morador de Nicomédia.

Dióscoro não queria deixar sua filha única viver no meio da sociedade corrupta daquele tempo. Por isso, decidiu fechá-la numa torre. Lá, ela era ensinada por tutores da confiança de seu pai. Porém, aquilo que parecia um castigo, começou a abrir a mente de Bárbara. Do alto da torre ela contemplou a natureza: as estações do ano, a chuva, o sol, a neve, o frio, o calor, as aves, os animais, etc. Tudo isso fez Bárbara questionar se aquilo era realmente criação dos “deuses”, como seus tutores e seu povo creditavam, ou se havia “alguém” muito mais inteligente e poderoso por trás da criação.

A beleza de divina:

Quando atingiu a idade para o casamento, por volta de 17 anos, seu pai a trouxe para casa e permitia que ela recebesse a visita de pretendentes, mas não permitia que ela visitasse a cidade. Bárbara era uma jovem muito bela e de família rica. Por isso, muitos eram os pretendentes que queriam se casar com ela. Mas Bárbara não aceitava nenhum, enxergando neles a superficialidade e o interesse, e nenhum toque de amor verdadeiro.

Para seu pai, isso era um problema sério, pois, segundo os costumes, ele tinha obrigação de casar sua filha. Dióscoro pensava que as “desfeitas” da filha diante dos pretendentes se davam por causa do tempo que ela passou na torre. Então, ele decidiu permitir que Bárbara conhecesse a cidade.

O contato com os cristãos:

Santa Bárbara, então, começou a frequentar a cidade. Nessas visitas, acabou conhecendo os cristãos de Nicomédia. Estes passaram para Bárbara a mensagem de Jesus Cristo. Falaram-lhe também sobre o mistério da Santíssima Trindade. A novidade cristã tocou profundamente o coração de Bárbara. Com os cristãos ela encontrou a resposta para seus questionamentos: o Criador de tudo era o Deus Único e Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo e não os deuses que seu povo cultuava.

Bárbara se converteu ao cristianismo de todo o coração. Logo, um padre vindo de Alexandria ministrou a ela o batismo. E Bárbara passou a ser uma jovem fervorosa e cheia de virtudes cristãs. Em Jesus Cristo ela encontrou o sentido mais profundo de sua vida.

Santa Bárbara e as perseguições:

Dióscoro, pai de Santa Bárbara, decidiu construir para ela uma casa de banho na torre, onde ele planejou instalar duas belas janelas. Quando a obra começou, Dióscoro teve que fazer uma longa viagem. Durante a viagem do pai, Santa Bárbara ordenou que construíssem uma terceira janela na obra. Sua intenção era que a torre tivesse três janelas em homenagem à Santíssima Trindade. Além disso, Santa Bárbara esculpiu uma cruz na torre.

Quando Dióscoro voltou, reparou logo nas mudanças feitas na construção e foi perguntar à filha o por que daquilo. Santa Bárbara explicou que as mudanças eram símbolos de sua nova fé: três janelas em homenagem ao Deus Uno e Trino, Criador de todas as coisas. E a Cruz lembrava o sacrifício do Filho de Deus para salvar a humanidade. Dióscoro ficou furioso.

A sentença de morte de Santa Bárbara:

Ao perceber que a filha estava irredutível em sua fé cristã, Dióscoro, num impulso de ira, denunciou a filha ao prefeito da cidade. Este ordenou que Bárbara fosse torturada em praça pública, para tentar fazer com que a jovem renegasse a fé cristã. Porém, para surpresa de todos, Santa Bárbara não renegou sua fé, mesmo diante dos mais atrozes sofrimentos.

Durante a tortura, uma jovem cristã chamada Juliana denunciou os nomes dos carrascos, coisa que era expressamente proibida na época. Por isso, Juliana foi presa e condena à morte por decapitação juntamente com Santa Bárbara.

As duas jovens cristãs foram levadas amarradas pelas ruas de Nicomédia, sob os gritos furiosos de muita gente. Santa Bárbara teve os seios cortados. Depois, foi conduzida para fora da cidade. Lá, seu próprio pai a degolou.

Bárbara e os raios:

Quando Dióscoro degolou a filha e a cabeça de Santa Bárbara rolou pelo chão, um raio riscou o céu e um enorme trovão foi ouvido pelo povo. E, para o assombro de todos, o corpo de Dióscoro caiu no chão sem vida, atingido pelo raio. Parece que a natureza se revoltou contra a atitude desse pai infanticida.

Depois deste fato, Santa Bárbara ganhou o status de “protetora contra relâmpagos e tempestades”, além de ser nomeada Padroeira dos artilheiros, dos mineradores e das pessoas que trabalham com fogo.

Devoção à Santa Bárbara:

A festa de Santa Bárbara é celebrada na Igreja Católica e na Igreja Ortodoxa. A festa é celebrada no dia 4 de Dezembro de cada ano.

Mas a grande mensagem de Santa Bárbara destina-se a todos aqueles que buscam a verdade, principalmente os jovens. Ela nos ensina a buscar a verdade com coração sincero e aberto. Ensina também que o casamento não deve acontecer por mero interesse, mas sim por amor. Por fim, Santa Bárbara nos dá uma mensagem de coragem e fé. A palavra mártir quer dizer testemunha e se aplica aos cristãos que preferiram morrer a negar sua fé e pecar. Este é o grande testemunho de Santa Bárbara.

SIGNIFICADO E SIMBOLISMO DE SANTA BÁRBARA:

Santa Bárbara nasceu em Nicomédia, Bitínia, onde se localiza a cidade de Izmit, na Turquia, nos dias de hoje. Bárbara nasceu e viveu no fim do terceiro século. Era uma linda jovem, filha única de Dióscoro, homem nobre e muito rico.A imagem de santa Bárbara sofreu algumas variações ao longo do tempo e pode aparecer com alguns detalhes diferentes. Os mais comuns são a torre, a espada, o cálice e a palma. Outros atributos foram adicionados de acordo com a proteção que as pessoas atribuíam à santa.

A Torre de Santa Bárbara:

A torre atrás da imagem de Santa Bárbara é o símbolo mais conhecido da Santa. Seu pai não queria que ela convivesse em uma sociedade imoral e corrupta. Por isso, construiu uma torre, e lá trancou a filha para guardar sua beleza. Após a conversão de Bárbara ao cristianismo, ela mandou abrir uma terceira janela na torre, simbolizando a Santíssima Trindade, o que posteriormente causou seu martírio, uma vez que os cristãos eram perseguidos. A torre também simboliza Deus como refúgio do ser humano.Em algumas imagens a torre aparece em chamas. Quando o pai de Bárbara a degolou, matando-a cruelmente por ela ter se convertido ao cristianismo, na mesma hora um raio o atingiu, como castigo do céu, tirando sua vida. Por esse acontecimento, Santa Bárbara é invocada como a protetora das pessoas que trabalham com fogo: bombeiros, mineiros, construtores de túneis e militares.

O Cálice de Santa Bárbara:

O cálice de Santa Bárbara simboliza a comunhão e a remissão dos pecados pelo sangue de Cristo na cruz. Simboliza também a conversão de Santa Bárbara ao catolicismo e sua proteção em favor dos agonizantes e moribundos, recordando que os devotos fiéis e sinceros tem a promessa de não morrerem sem os sacramentos.

A Espada de Santa Bárbara:

A espada que aparece nas mãos de Santa Bárbara representa o instrumento de seu martírio. Ela foi degolada pelo próprio pai. Também é um símbolo de sua fé inabalável em Jesus Cristo. Porém, não é exclusivo da santa. A espada também representa a inimizade dos incrédulos que torturaram Santa Bárbara.

A Palma:

A palma na imagem de Santa Bárbara simboliza o seu martírio e de muitos santos que deram a vida por causa do evangelho. A Igreja usa a palma como símbolo da vitória de Cristo sobre o pecado e da vitória de todos os santos sobre a morte.

A Coroa de Santa Bárbara:

A coroa de Santa Bárbara simboliza a coroa da vitória em Cristo, bem como sua grandeza como cristã, apesar de ter vivido como uma pessoa comum. Também representa a coroa da vida, a recompensa eterna para os crentes e fieis que morreram martirizados.

A Túnica de Santa Bárbara:

A túnica vermelha usada por Santa Bárbara representa o sangue de Cristo derramado na cruz, e o sangue dos mártires, inclusive o da própria santa, derramado por amor a Jesus. Santa Bárbara teve os seios cortados cruelmente antes de ser decapitada pelo próprio pai pelo fato de ter recebido Jesus cristo em sua vida e se ter convertido ao Catolicismo.

O Manto de Santa Bárbara:

O manto azul de Santa Bárbara representa o céu, a cor do céu, a morada de todos os santos e o lugar onde ela se encontra ao lado de Deus. O azul representa ainda a verdade pela qual Santa Bárbara deu sua vida, e também o próprio Cristo, que Bárbara buscou com toda fidelidade.

santa-barbara3

Oração à Santa Bárbara:

‘Santa Bárbara, que sois mais forte que as torres das fortalezas e a violência dos furacões, fazei que os raios não me atinjam, os trovões não me assustem e o troar dos canhões não me abalem a coragem e a bravura. Ficai sempre ao meu lado para que possa enfrentar de fronte erguida e rosto sereno todas as tempestades e batalhas de minha vida, para que, vencedor de todas as lutas, com a consciência do dever cumprido, possa agradecer a vós, minha protetora, e render graças a Deus, criador do céu, da terra e da natureza: este Deus que tem poder de dominar o furor das tempestades e abrandar a crueldade das guerras. Por Cristo, nosso Senhor. Amém.’

Na Capital

O cheiro de alfazema no ar e o tapete de pétalas vermelhas que cobrem as ruas do Pelourinho anunciam a chegada oficial das festas populares em Salvador. É com a Festa de Santa Bárbara, nesta terça-feira (4), que o ciclo de festividades se inicia, passando ainda pela Conceição da Praia, no próximo dia 8, Lavagem do Bonfim (17/1) e Festa de Iemanjá, em 2 de fevereiro. Agora, o calendário de festas populares só termina daqui a quatro meses, em março, com o Carnaval.

Há 10 anos considerada Patrimônio Imaterial da Bahia, a Festa de Santa Bárbara, a padroeira dos bombeiros, já soma mais de 300 anos, sendo comemorada sempre no dia 4 de dezembro. A celebração tradicional é o pontapé para um período de grande movimentação na cidade – inclusive econômica.

“As festas populares evidenciam o nosso patrimônio cultural, religioso e o sincretismo, que fazem de Salvador um destino único”, diz o secretário de Cultura e Turismo de Salvador, Claudio Tinoco.

Embora a temporada de festejos comece, oficialmente, com a alvorada às 5h desta terça (4), os preparativos para saudar Santa Bárbara começaram bem antes. Conhecida por proteger os devotos durante as tempestades, Iansã, como é chamada no candomblé, recebe homenagens em vários pontos da cidade.

Eparrei, Oyá!
Dona Isabel Batista, que há 20 anos está à frente do Mercado de Santa Bárbara, na Baixa dos Sapateiros, não só começou os preparativos mais cedo, como até antecipou parte da programação. O caruru, servido sempre no dia 4 de dezembro, este ano foi antecipado para o dia 2.

“Passam por aqui mais de 10 mil pessoas, que se amontoavam para conseguir um prato. Era tanta confusão que decidimos antecipar”, contou Dona Isabel.

No mês de dezembro, a rotina no Mercado de Santa Bárbara fica diferente, movimentada. Todos se voltam aos preparativos da festa, desde a decoração da capela até o caruru, que é sempre distribuído pelos comerciantes.

Dona Isabel é filha de Iansã e garante: só tem a agradecer
(Foto: Marina Silva/CORREIO)

Filha de Iansã, dona Isabel só tem a agradecer. “Por cinco vezes, eu morri e revivi. Por isso hoje agradeço todos os dias a ela. Eu, hoje, não tenho nada a pedir”, contou. Ainda segundo a fundadora do espaço, “os comerciantes passam por dificuldades e os festejos de Santa Bárbara, além de serem um reflexo da fé, servem também para dar visibilidade ao mercado”.

Assim como dona Isabel, muitos fiéis já começaram a acender velas, fazer pedidos, agradecer e alimentar a fé. Um deles foi Edvaldo Alves dos Santos, 62, que nesta segunda-feira (3) mesmo foi à capela rezar, depois de comprar sua vela vermelha. “Eu sou devoto desde que nasci e todos os anos venho acender a vela e acompanhar a procissão do dia 4. No final, termino o dia em uma festa de candomblé, ouvindo os batuques”, afirmou.

A vela de seu Edvaldo é uma das que enfeitam a capela do Mercado de Santa Bárbara. Além dela, há muitas flores e arranjos, tudo organizado minuciosamente pelo decorador Osvaldino Bonfim Costa, 58, há 35 trabalhando na organização de eventos religiosos. “Eu sou instrumentista industrial e formado em contabilidade, mas a fé me trouxe até aqui”, disse. Ainda segundo ele, decorar o altar da santa é um dom. “A gente se concentra e a inspiração vem, porque não pode ser de qualquer jeito”, contou.

Em segredo
Para católicos, candomblecistas e umbandistas, a celebração oficial começa cedo para festejar Santa Bárbara e Iansã. Tudo começa com a tradicional queima de fogos, às 5h, seguida pela missa campal, o ponto alto da festa, que acontece na Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, no Pelourinho.

O que muita gente não sabe é que tudo é feito ‘a sete chaves’, em segredo, e nem o padre Lázaro, responsável pela Igreja do Rosário dos Pretos, pode saber dos detalhes.

“Os dois decoradores fazem tudo e a gente só pode ver a decoração no dia 4. É uma surpresa não só para os fiéis”, disse.

Osvaldino é um dos responsáveis pela decoração da Igreja do Rosário dos Pretos
(Foto: Marina Silva/CORREIO)

Ainda segundo ele, a temática deste ano é a luta por justiça, paz e amor. Nesta segunda-feira (3), o que dava para ser visto eram as flores, levadas por fiéis que se anteciparam para homenagear Santa Bárbara. Nos degraus da Igreja estava seu Edmilson Santana da Silva, que vende flores há mais de 15 anos no local. “Eu sou devoto de Santa Bárbara e aqui todos me conhecem. A festa, além de renovar a minha fé, é o meu ganha pão”, destacou.

Edmilson acompanha todo o calendário de festas populares, sempre vendendo flores: “De amanhã a oito, você me encontra na Conceição, depois Santa Luzia e eu só paro em Iemanjá”, afirmou.

Quem também ajeitava os detalhes era o Quartel dos Bombeiros. A imagem da padroeira dos bombeiros entra no quartel, onde há uma capela para a santa, e abençoa a equipe e o local.

Igreja dos Bombeiros sendo preparada para festa
(Foto: Marina Silva / CORREIO)

Além disso, são servidos mil pratos de caruru para os devotos. O coronel Marquezine contou que o Corpo de Bombeiros procura preservar a tradição e respeitar o sincretismo. “Hoje em dia, por falta de estrutura, a comida é preparada de forma terceirizada, mas a distribuição acontece no quartel”, disse.

Com o fim da procissão e o retorno da imagem à Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, começa a parte profana. A tradição de Santa Bárbara está fortemente ligada à cultura do povo negro, por isso a cidade fica repleta de rodas de samba, toques de atabaques e muita dança. O Largo do Pelourinho vai ter uma programação musical a partir de 14h30 desta terça-feira (4).

Confira a programação da Festa de Santa Bárbara em Salvador:

Largo do Pelourinho
Alvorada de fogos – 5h
Repique de Sinos – 6h
Missa Campal – 8h
Procissão – Logo após a missa
Jorginho Commancheiro – 14h30
Samba Chula de São Brás – 16h
Conexão Negra – 18h30
Claudya Costta – 21h

Quartel do Corpo de Bombeiros
Missa do Corpo de Bombeiros – 8h30
Tradicional Caruru – 12h

Largo Tereza Batista
Samba na Fé de Santa Bárbara
Atrações: 100% Samba e Chinelo de Couro
Quando: 4 de dezembro, das 14 às 18 horas

Largo Quincas Berro D’água
Samba de Oyá – Vou com Fé
Atrações: Samba Fogueirão e Samba Jaké
Quando: 4 de dezembro, das 15 às 21 horas

Largo Pedro Archanjo
Samba Trator, Samba Simpatia e Pagode do Vinny
Quando: 4 de dezembro, das 16 horas até a meia-noite

 

Confira a programação da Festa de Santa Bárbara em Santa Bárbara:

04/12 –TERÇA FEIRA – GRANDE DIA

MANHÃ

09H30Missa Solene Presidida pelo Arcebispo Metropolitano Dom ZanoniDemettinoCastro.
TEMA: “O Evangelho da Família, alegria para o mundo”
APÓS A MISSA- LEILÃO BENEFICENTE.

TARDE

16H00Missa Festiva presidida pelo Monsenhor Luiz Rodrigues.
APÓS A MISSA PROCISSÃO PELAS  RUAS DA CIDADE.

 

Confira o Calendário das festas populares:

As festas populares da Bahia começam nesta terça-feira (4) com a comemoração para Santa Bárbara
8 de dezembro é celebrado o dia de Nossa Senhora da Conceição da Praia
A festa de Santa Luzia acontece no dia 13 de dezembro
De 31 de dezembro a 1º de janeiro acontece a  Procissão do Nosso Senhor dos Navegantes – Festa da Boa Viagem
No dia 6 de janeiro de 2019 acontecerá a festa de reis no bairro da Lapinha
No dia 17 de janeiro de 2019 acontecerá a Lavagem do Bonfim.
No dia 21 de janeiro de 2019 acontecerá a ‘Segunda-Feira Gorda’ da Ribeira
Dia 31 de janeiro de 2019 tem festa para São Lázaro na Federação
Dia 2 de fevereiro é dia de saudar Yemanjá, a rainha do mar
A lavagem de Itapuã acontecerá no dia 21 de fevereiro
De 27 de fevereiro a 5 de março acontecerá o Carnaval.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here