6ª noite de ataques no Ceará tem explosão em ponte e ônibus incendiados

0
68

Ataques criminosos continuaram pela sexta noite seguida, nesta segunda-feira (7), no Ceará. Ônibus foram incendiados na capital e nos municípios de Aracati e Maranguape, na Grande Fortaleza. O carro de uma autoescola também foi queimado e um homem ficou ferido. Na madrugada desta terça-feira (8), foi registrada uma explosão em uma ponte no município de Caucaia.

Desde quarta-feira (2), ocorreram 159 ações que tiveram como alvo coletivos, prédios públicos, comércios e agências bancárias. Na quinta-feira (3), a Força nacional de segurança foi chamada e enviou, inicialmente, 300 agentes. Já nesta segunda, o governo anunciou que outros 200 polícias da Força de segurança  seriam enviados para o estado devido à continuação dos ataques. Pelo menos 106 agentes desse efetivo extra já chegaram ao Ceará para atuar nas ruas.

O governador Camilo Santana informou nesta terça que a polícia capturou 168 pessoas envolvidas nos crimes. Vinte prisões ocorreram nas últimas horas, segundo o governador. “Outras [pessoas] estão em investigação e poderão ser presas a qualquer momento”, disse.

A onda de ataques coordenada por chefes de facções criminosas teve início após o secretário da Administração Penitenciária do Ceará, Luís Mauro Albuquerque, prometer uma fiscalização mais rigorosa nos presídios e acabar com divisão de presos por facção criminosa. A secretaria da Administração Penitenciária foi criada em 1º de janeiro deste ano, quando tomou posse o governador reeleito do Ceará, Camilo Santana.

Ações na capital

Em Fortaleza, dois ônibus foram incendiados na região da Grande Messejana na noite de segunda. O primeiro caso aconteceu por volta das 21h, no Bairro Pedras. Já o segundo caso foi às 22h, na Rua Joaquim Machado, no Bairro Parque Santa Rosa. Não há informações sobre feridos.

Na madrugada desta terça, os ônibus do transporte público foram recolhidos devido aos crimes. Durante a manhã, os veículos voltaram a circular, mas desviando a rota para evitar os locais onde os ataques são mais comuns.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here