Após caso de agressão, São Paulo suspende contrato de Jean

0
27

Jean não vai mais vestir a camisa do São Paulo. E agora é oficial. O clube paulista publicou nesta quinta-feira (9), que o contrato do goleiro baiano está suspenso até o final de dezembro de 2020 e o atleta de 24 anos está livre para buscar um outro clube. Caso ninguém contrate Jean até o final da suspensão, o clube paulista poderá decidir pela rescisão do contrato, que é válido até dezembro de 2022.

No final do último ano, Jean foi preso nos Estados Unidos acusado de agredir sua esposa, Milena Bomfim, no quarto de hotel onde o casal estava hopedado junto com suas duas filhas em Orlando.

Após a prisão do goleiro, o São Paulo divulgou uma nota oficial confirmando que uma posição já foi tomada mas, por “questões legais”, só será anunciada quando o atleta voltar de férias.

No comunicado, o clube afirmou que “não tolera e não admite episódios como os que foram noticiados hoje, de violência contra a mulher”, e também destacou que o “jogador de futebol é exemplo para a sociedade – forma opinião e influencia comportamento – e por isso tem de ter consciência daquilo que representa pelo que faz não só dentro, mas também fora de campo, e consequentemente da responsabilidade que carrega”. Com o final das férias, o clube tornou pública a decisão de suspender o contrato de Jean.

Confira a nota do São Paulo:

“O São Paulo Futebol Clube comunica que nesta quinta-feira (9) firmou a suspensão do contrato de trabalho do atleta Jean Paulo Fernandes Filho. 

O contrato permanecerá suspenso até 31 de dezembro de 2020, período durante o qual o atleta poderá exercer atividades por outras agremiações em condições já estipuladas. Caso o jogador não seja contratado por um outro clube durante este período, o São Paulo Futebol Clube poderá decidir pela rescisão de contrato ao final deste ano de suspensão”.

Relembre o caso
Esposa do goleiro Jean, revelado nas categorias de base do Bahia, Milena Bemfica gravou vídeos em sua conta pessoal do Instagram denunciando agressões físicas que atribui ao marido. Com o rosto machucado, ela afirmou que estava trancada em um banheiro do hotel onde os dois passam férias em Orlando, nos Estados Unidos, com as duas filhas do casal.

“Eu estou aqui em Orlando e olha o que Jean acabou de fazer comigo. Alguém me ajude. Jean acabou de me bater, gente, socorro”, contou Milena.

Além disso, a moça também publicou um trecho da conversa entre ela e Jean, que hoje defende o São Paulo, na mesma rede social. Segundo Milena, o goleiro de 24 anos estaria lhe fazendo pressão psicológica em retaliação às denúncias.

O goleiro teve a soltura decretada em Orlando, nos Estados Unidos, durante audiência de custódia. Ele pôde retornar ao Brasil. No entanto, segue respondendo ao processo nos Estados Unidos.

Na soltura, ele se comprometeu a contratar advogado para acompanhar o processo na Flórida e a comparecer a todas as audiências do caso.

O juiz do Condado de Orange, na Flórida, também deu uma ordem de restrição de contato entre Jean e Milena. Através desta, o jogador fica proibido de abordar a esposa seja pessoalmente ou através de e-mail, telefone, fax, mensagem de texto, carta ou qualquer forma de comunicação. Ele não pode sequer enviar mensagem por terceiros a ela e, mesmo que seja para visitar as filhas, Jean só pode ter contato com Milena mediante autorização judicial.

Ainda relacionado às duas filhas do casal – uma de 5 e outra de 3 anos -, Jean só pode se aproximar das crianças se estiver acompanhado por terceiro.

Milena, mesmo que seja da vontade dela, não pode solicitar a retirada da ordem judicial. E um cenário diferente desse só é permitido mediante modificação por escrito do juiz.

*com supervisão do subeditor Miro Palma

Fonte: Correio

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here