Conheça as vítimas do ataque em praia de Salvador; suspeitos são identificados

0
39

Uma jovem de 20 anos e um adolescente de 17, estão entre as vítimas do ataque a tiros que aconteceu na praia de Jaguaribe. A estudante de biomedicina Juliana Alcântara aproveitava a tarde com a mãe (que também foi baleada) e com o primo de 14 anos quando foi atingida. Já Igor Oliveira era apaixonado por futevôlei e curtia o local com amigos.

Dois suspeitos já foram identificados através de imagens de câmeras de seguranças, mas a polícia ainda não detalhou sobre os suspeitos.

O ataque que deixou três mortos e dois feridos aconteceu na tarde de terça (5), depois que homens armados chegaram à praia e um deles disparou contra Lucas Santos de Souza, de 27 anos, alvo da ação. Lucas estava no local com outros dois amigos, que também foram baleados e sobreviveram. Já Lucas não resistiu aos ferimentos e morreu ainda no local. Não há detalhes sobre o sepultamento dele.

A polícia informou que Lucas Santos era envolvido com o tráfico de drogas e tinha duas passagens por este tipo de crime.

Com base em imagens das câmeras, os criminosos identificados são apontados pela polícia como traficantes da região da Boca do Rio, por isso, a ação é tratada como pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) como um acerto de contas entre gangues rivais.

Juliana Alcântara e Igor Oliveira morreram após ataque a tiros na praia de Jaguaribe — Foto: Arte G1

Assim como Lucas, Juliana Celina, atingida na ação, morreu no local. A mãe dela também foi ferida de raspão, mas passa bem. O adolescente Igor Oliveira Lima Filho, ainda foi socorrido para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Itapuã, mas não resistiu aos ferimentos. Nenhum dos três conheciam Lucas, estavam no local apenas curtindo a praia.

O delegado José Bezerra, diretor do DHPP disse que o ataque aconteceu muito rápido, em torno de um minuto.

Já o delegado da Polícia Civil, Odair Carneiro, que está a frente do caso, acredita que a falta de experiência do criminoso no manejo da arma tenha sido motivo de atingir as vítimas que não eram alvos da ação.

“As investigações apontam que o excesso dos disparos de arma de fogo foi justamente por se estar com uma pistola, com seletor de rajada. Ele [atirador] perdeu o controle a partir do momento que atirava. O alvo era Lucas e mais dois indivíduos que estavam no grupo [de Lucas]. Pelo fato de estar com uma pistola com seletor de rajada foram atingidas a menina, uma senhora e o mais um garoto de 17 anos. Sendo que a menina e o garoto foram mortos”, explicou o delegado.

Dois homens suspeitos de participar de um ataque a tiros foram presos nesta quarta-feira (6). Segundo informações da SSP, a dupla é apontada como responsável pelo transporte dos autores dos disparos. As motocicletas foram apreendidas e serão encaminhadas para perícia no Departamento de Polícia Técnica (DPT).

corpo do adolescente foi enterrado por volta das 14h30 desta quarta-feira (6), no Cemitério Jardim da Saudade, em Brotas. Já o corpo da jovem foi sepultado às 16h30, no Cemitério do Campo Santo, no bairro da Federação.

Confira os perfis das vítimas do ataque a tiros:

  • Juliana Alcântara
Juliana Alcântara estava na praia com a mãe e o primo de 14 anos quando foi baleada — Foto: Reprodução / Redes Sociais

Juliana Alcântara tinha 20 anos e tinha o sonho de trabalhar na área da saúde. Filha única, estudava biomedicina na Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública.

Nas redes sociais, a jovem sempre demonstrava alegria. Na internet, ela contava que cumpria o isolamento social durante a pandemia do novo coronavírus. Inclusive, comemorou o último aniversário sem a presença dos amigos.

Depois da reabertura das praias, voltou a fazer o que gostava, aproveitar a tarde com a família na praia de Jaguaribe, mesmo lugar em que aconteceu o ataque a tiros. Juliana estava com a mãe e o primo de 14 anos, mas não teve chance de reagir. Foi atingida pelos disparos de arma de fogo, na cadeira onde estava sentada e não resistiu aos ferimentos.

Amigas e amigos de Juliana lamentaram a morte dela. Nas redes sociais, a amiga Danielle Zamperine escreveu um texto de despedida e disse: “Pensar que você se foi é impossível. Te amo de montão, jamais esquecerei de você”.

  • Igor Oliveira
Igor Oliveira era apaixonado por futevôlei e estava com os amigos na hora do ataque — Foto: Reprodução / Redes Sociais

A praia de Jaguaribe era um dos locais que o adolescente Igor Oliveira mais frequentava. Igor era apaixonado por futevôlei e levava a sério o esporte. Nas redes sociais, amigos e grupos de esporte, lamentaram a morte tão precoce dele.

O grupo de futevôlei Alta SSA divulgou uma nota se solidarizando com as vítimas do ataque a tiros.

“Solidarizamos com as famílias das vítimas do atentado ocorrido e prestamos nossas condolências a todos eles. Nossas praias representam um ambiente de paz, alegria, e muito amor, sendo para muitos, ambiente de trabalho, e fatos como este não podem passar despercebidos, tampouco impunes. A nossa casa nunca será́ vista com essa energia pesada e rude que é a violência, muito pelo contrário, será́ vista ainda como um ‘Maracanã’ de altinha onde todos e todas se divertem com muito sorriso no rosto, seja do mais velho ao mais novo”.

O grupo também falou da violência nas praias e fez um apela por segurança.

“Não é de hoje que situações de violências ocorrem em nossas praias, principalmente Jaguaribe, palco de diversos furtos e roubos. Assim, rogamos às autoridades competentes por reforços na nossa segurança pública, principalmente em nossas praias, que em dias ensolarados, é palco de grandes alegrias entre famílias, não queremos que cenas como a de hoje se tornem comum e passem a acontecer com frequência no ambiente”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here