Após Sergipe liberar shows, empresários baianos pedem que Bahia siga exemplo: “já passou da hora”

0
44

O governo de Sergipe anunciou, nesta quinta-feira (9), a liberação para a realização de shows e de vaquejadas com a presença de público, além de ampliar a ocupação de eventos em locais fechados. Apesar de ser válida apenas no estado vizinho, a medida aumentou as esperanças de empresários baianos do setor de entretenimento que esperam que a mesma decisão também seja adotada na Bahia. Conforme último decreto estadual, a suspensão de festas públicas ou privadas foi prorrogada até esta sexta (10) em todo território baiano.

Para o empresário Aldinho Benevides, a Bahia deve seguir o mesmo exemplo de Sergipe e São Paulo que vai permitir 100% de público presente no Grande Prêmio de Fórmula 1, em novembro deste ano. O produtor de eventos ressaltou ainda o número de pessoas que dependem da realização de shows no estado.

“Acho que já passou da hora de começar a flexibilizar porque a cidade da música, o estado da música e da festa não pode ficar pra trás não só por conta do motivo cultural, mas, sobretudo pelo motivo de que é o estado com maior número de pessoas que depende disso, ou seja, a necessidade da Bahia é maior do que a de outros estados. Está na hora da Bahia seguir São Paulo e Sergipe. A terra da música não pode ser a última a abraçar o cidadão que depende disso”, afirma.

Marcelo Brito, da Salvador Produções, responsável por festas como o Salvador Fest e Festival de Verão, disse que “vê com bons olhos” a decisão tomada pelo governo sergipano e espera que a Bahia anuncie a mesma decisão no próximo decreto.

“Aracaju e outras tantas cidades do Nordeste já estão com seus planos de retomada e isso é muito importante. Torço muito para que Salvador siga também esse caminho de retomada o mais breve possível. Estou na esperança de que nos próximos dias ocorra uma mudança de decreto aqui na Bahia para que possamos retomar com os eventos em Salvador”, diz.

Já Guto Ulm, da 2GB Entretenimento, se diz “indignado” com o fato do governo da Bahia ainda não ter permitido a realização de eventos e citou a falta de planejamento para o carnaval do ano que vem.

“Continuamos indignados com tamanha insensibilidade do nosso governo com o segmento. Enquanto o mundo e outros estados retomam suas atividades econômicas do entretenimento com protocolos, a Bahia fecha os olhos. Aqui não conseguimos abrir o diálogo pra dar início aos trabalhos e estudos da realização dos protocolos do nosso maior produto: o carnaval. […] Qual o critério do governo que será utilizado para retomada do entretenimento?”, questiona.

Em Sergipe, os eventos de lazer, a exemplo de shows, podem ser realizados com capacidade de até 300 pessoas em ambientes internos, e 500 em externos. Já as vaquejadas podem ter público de até 500 pessoas.

Segundo a nova medida, os organizadores de shows, festas artísticas, vaquejadas, blocos e similares precisam ter aprovação de projeto específico a ser elaborado e submetido a uma avaliação da Secretaria de Estado da Saúde (SES) .

Classificação Indicativa: Livre

 

Fonte: BNews

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here