Danilo Fernandes vê derrotas fora de casa como lição e quer Bahia paciente contra o Criciúma

0
71

A diferença de rendimento do Bahia em jogos dentro e fora de casa segue como o principal assunto nas entrevistas coletivas na Cidade Tricolor. Embora tenha 100% de aproveitamento como mandante na Série B, o Tricolor vê esse número cair para 26% quando é visitante, situação que se assemelha à vivida pela equipe com Guto Ferreira em 2016.

Em entrevista coletiva realizada na manhã desta quinta-feira, o goleiro Danilo Fernandes admitiu que o time tem “sofrido mais do que deveria” em partidas como visitante. Ele pondera, porém, que a diferença de rendimento não acontece em razão da postura do Tricolor, mas do próprio adversário.

– Eu não acredito que a gente mude de postura, até porque o adversário, jogando na sua casa, propõe ainda mais o jogo, tem mais coragem para sair. A gente sabe que, quando o adversário vem aqui, joga de uma certa maneira, nos esperando mais. E fora os adversários que procuram mais o jogo, e a gente tem que entender isso, que tem hora que tem que baixar um pouco a linha, tem hora em que vamos subir a marcação. E tem momentos da partida em que o adversário acaba se impondo, e a gente tem que saber sofrer. Quando a gente tiver a bola, tem que ter essa tranquilidade – afirma o goleiro.

– São jogos que a gente está sofrendo um pouco mais do que deveríamos. Mas já fizemos grandes jogos fora de casa. Das três derrotas que tivemos fora de casa, essa do Tombense foi aquela em que mais deixamos a desejar. Nas outras duas, jogamos até de igual para igual, e um empate seria, no mínimo, um resultado mais justo. Sabemos que essa foi uma derrota que doeu bastante. Mas o que vai fazer isso mudar é a nossa atitude daqui para frente. Já passou. A gente não pode ficar sofrendo com o resultado que tivemos. Serve de lição e aprendizado para as próximas partidas fora de casa – completa.

A boa notícia para o Bahia de Danilo Fernandes é que quatro dos cinco próximos jogos do time serão na Arena Fonte Nova. Para a partida deste sábado, contra o Criciúma, até a tarde desta quinta-feira, cerca de 20 mil torcedores já haviam confirmado presença no estádio.

– Primeiro jogo nosso em casa, num sábado, 16h30, um horário muito bom para assistir e para jogar. A gente gosta desse horário. Expectativa enorme, queremos contar com o nosso torcedor ao nosso lado. A gente adora ver a Fonte Nova lotada, com os torcedores nos incentivando os 90 minutos. A nossa expectativa é que eles possam comparecer, lotar a Fonte Nova, fazer uma linda festa e nós, ali dentro do campo, poder corresponder à altura.

Diferente do Bahia, que está em terceiro lugar e briga no topo da tabela da Série B, o Criciúma atravessa situação difícil na competição e está na 15ª posição, pouco à frente da zona de rebaixamento. Mesmo diante dessa situação, Danilo prevê partida complicada na Fonte Nova e espera que o time seja paciente.

– Sabemos que vai ser um jogo muito difícil, muito complicado, vimos o último jogo do Criciúma com um jogador a menos em boa parte do jogo e perdeu no detalhe para o Cruzeiro. Foi um jogo bem disputado. E eles vêm fazendo bons jogos. Uma equipe que se dedica os 90 minutos, não tem bola perdida, parece que eles não cansam. A gente sabe que vai ser uma partida muito difícil, onde nós temos 90 minutos mais os acréscimos para procurar o gol. Não podemos nos desesperar se, no início da partida, alguma coisa não estiver saindo do jeito que a gente gostaria. Então a gente tem que ter uma paciência, tranquilidade. Sabemos que estamos jogando em casa. Vamos em busca do triunfo a todo momento, mas também temos que entender a partida. Tem momentos em que vamos ter que saber sofrer. É normal, durante um jogo tão disputado. Nós vamos jogar o jogo de acordo com o que temos que jogar e fazer de tudo para sufocá-los e buscar esse triunfo.

Para enfrentar o Criciúma, o técnico Guto Ferreira volta a contar com o volante Rezende, que cumpriu suspensão na última rodada, além dos atacantes Rodallega e Raí, recuperados de problemas físicos. Já o atacante Marco Antônio recebeu o terceiro cartão amarelo na última partida e é desfalque.

Veja outros trechos da entrevista coletiva:

Discurso pra buscar a recuperação
– A gente não pode fiar sofrendo pela derrota que tivemos. É assimilar, mas não pode ficar sofrendo três, quatro dias, com isso. É uma nova história, um novo jogo. Dentro da nossa casa, agora. A gente sabe da nossa postura dentro de casa. Contamos com o apoio do torcedor para nos empurrar e poder intimidar um pouco o adversário, isso vai ser importante para a gente. Vai nos ajudar bastante. A nossa postura é saber entender o jogo. Tem horas em que vamos sofrer mais do que queremos, mas é da partida. Não vamos dominar os 90 minutos, assim como, fora de casa, eles também não nos dominam os 90 minutos. um jogo difícil, onde nossa atitude tem que ser de time que vai brigar por coisas grandes no campeonato.

Como se sente após atentado
– Já estou 100% recuperado. Já não sinto mais nada. Nem gostaria mais de falar sobre esse assunto.

Fonte: Globo Esporte

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here