Escolas estaduais baianas estão entre as piores em Português e Matemática

0
302

 

No grupo das 387 cidades baianas que não atingiram a média nacional estão os municípios baianos de Ipecaetá (198,95), Pilão Arcado (199,42), Santa Bárbara (203,53), Boninal (204,3) e Cachoeira (204,6).

O Ministério da Educação (MEC) e o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgaram, nesta quinta-feira (30), os resultados do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) com base em dados coletados em 2017. No ranking, as escolas estaduais da Bahia aparecem na 25ª posição (terceira pior colocação entre as 27 unidades da federação) nas notas de Matemática, com 243 pontos, atrás apenas de Amapá (242) e Pará (237). Já em Português, o estado apresentou o segundo pior resultado nacional, com 242 pontos, atrás do Pará, com 237.

Em Matemática, a Bahia ficou abaixo em 107 pontos da nota estabelecida como adequada pelo Movimento Todos Pela Educação, que é de 350 pontos. Em Português, o resultado também foi deficitário em 60 pontos, já que a nota adequada é 300. No comparativo dos últimos dois anos, o estado também apresenta queda de 2 pontos, tanto em Português quanto em Matemática, já que, em 2015, obteve pontuação de 244 na primeira disciplina e 245 na segunda.

No entanto, não foi apenas a Bahia que teve resultados bem abaixo do esperado. Dos 27 estados, apenas nove conseguiram aumentar o desempenho dos alunos em Português e Matemática: Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Goiás, Minas Gerais, Acre, Ceará, Tocantins, Sergipe e Alagoas.

A pesquisa também mostrou que as redes estaduais concentram mais de 80% dos alunos de ensino médio do país e os resultados apresentados são os mais preocupantes entre as séries avaliadas. Já as notas dos dois ciclos do Ensino Fundamental melhoraram na rede pública do país.

O CORREIO solicitou à Secretaria da Educação do Estado (SEC) um posicionamento sobre o desempenho da Bahia no ranking, mas até a publicação da reportagem, a resposta ainda não havia sido enviada.

Evasão
Os resultados do Saeb não são os únicos que preocupam educadores e governo. De acordo com dados do último Censo Escolar, divulgado no primeiro semestre, o ensino médio brasileiro tem uma taxa de evasão de 11%, chegando a 13% na região Norte do país. Ainda segundo o Censo, com dados do Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Educação (Siope), a Bahia apresenta o segundo menor investimento por aluno da rede estadual do país. Em 2017, o estado investiu apenas R$ 3.837,51 por aluno da educação básica, atrás apenas do Pará, que gastou R$ 3.626,41.

O Ensino Médio público da Bahia teve o 4º menor desempenho do Brasil no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) de 2015, o mais recente divulgado pelo Governo Federal. O Ideb, que deve ter mais um resultado divulgado na próxima segunda-feira (3), mede os dados de aprovação escolar e as médias de desempenho dos alunos no Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb). Neste ano, o presidente Michel Temer decidiu separar pela primeira vez a divulgação dos dados do Saeb e do Ideb.

 

Fonte: Correio on line

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here