Programa vai oferecer microcrédito de até R$ 15 mil para empreendedores de Salvador

0
30
Marcony e a esposa, Rita de Cassia, querem formalizar o negócio que nasceu como decoração de uma festa (Foto: Marina Silva/CORREIO)

Negócio Pop é parceria da prefeitura com Sebrae e Banco do Nordeste

Era para ser apenas uma decoração de aniversário, mas a ideia da professora Rita de Cassia Santos de transformar canecas coloridas em jarros deu tão certo que os convidados se transformaram em clientes. O marido dela, Marcony Silva, 45, viu logo uma possibilidade de negócio e resolveu investir na novidade.

“Desde o início do ano, estamos circulando em feiras de rua e até em condomínios. Normalmente, ficamos ali no largo da Dinha e pela primeira vez viemos aqui para o Centro. As oportunidades são legais, mas daqui para o final do ano, queremos formalizar um CNPJ e abrir uma loja em ponto fixo”, disse Marcony.

O sonho de ampliar os negócios pode estar mais próximo de se concretizar. Nesta quinta-feira (20), o prefeito ACM Neto (DEM) lançará o Programa Popular Produtivo (Negócio Pop) e o Programa Agentes do Empreendedorismo, duas ações que vão permitir a capacitação de microempresários e oferecer linha de crédito especial para capital de giro.

Os programas serão realizados em parceria com o Banco do Nordeste (BNB) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). Na prática, donos de mercadinhos e salões de beleza, vendedores ambulantes e de cosméticos, doceiras e pipoqueiros, entre outros microempresários, serão capacitados para empreender.

Agentes
Também lançado nesta quinta (20), o Programa Agentes do Empreendedorismo ficará sob a responsabilidade do Parque Social. Na prática, será feita a capacitação de agentes que atuarão nas comunidades em busca dos empreendedores em potencial. “O objetivo é mobilizar, engajar e prospectar parceiros na comunidade, estimulando a cultura do empreendedorismo”, disse a presidente de honra do Parque Social, Rosário Magalhães.

Os agentes farão contato com lideranças das comunidades para ajudar a identificar os microempresários. Depois, vão encaminhar os negócios em potencial para o BNB, que vai orientar os empreendedores e discutir a liberação do crédito. Se tudo estiver certo, o dinheiro sai em até sete dias úteis.

Em Salvador, há 200 mil microempreendedores, de acordo com a Sedur – 140 mil são mulheres
(Foto: Marina Silva/CORREIO)

R$ 15 mil
Segundo o titular da Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Urbanismo (Sedur), Sérgio Guanabara, responsável pela coordenação do programa, a linha de crédito será de até R$ 15 mil.

“É um programa pensado e desenvolvido pela prefeitura de Salvador. Ele está voltado para atender os pequenos empreendedores, muitos ainda na informalidade, como vendedores ambulantes e pessoas que têm o próprio negócio em casa”, afirmou Guanabara.

Atualmente, cerca de 200 mil pessoas vivem na condição de microempreendedores em Salvador, segundo a Sedur – cerca de 140 mil  são mulheres. São pessoas como a artesã Joelma Rocha, 47, que já foi vendedora de lanches e salgados e que hoje vive dos bordados que produz.

“Esse tipo de iniciativa nos ajuda de diversas formas. Podemos comprar o material, nos capacitar ainda mais e botar o nosso negócio pra frente”, contou a mulher, que desistiu de um antigo negócio por falta de capital de giro.

A prefeitura acredita que a nova linha de crédito vai possibilitar a geração de novos postos de trabalho, além da ampliação do comércio empreendedor. O Negócio Pop integra o eixo Inclusão Econômica do Salvador 360.

“Se o empreendedor consegue ampliar os negócios, ele vai precisar de mais funcionários, o que gera emprego. Esse é um programa de impacto econômico e social, voltado para a base da pirâmide”, disse Guanabara.

A artesã Joelma Rocha espera conseguir capital de giro para crescer
(Foto: Marina Silva/CORREIO)

Regras
O objetivo é disponibilizar a linha de crédito de forma rápida e prática – por isso, o investimento será oferecido através do Crediamigo. A gerente estadual de microfinanças do BNB, Lana Pinto Oliveira, contou que a taxa de empréstimo será de até 2% ao mês e que o montante disponível é de R$ 300 milhões.

“Essa é uma linha de crédito menos burocrática e com taxas abaixo do mercado para ajudar os microempreendedores. É um valor destinado ao capital de giro, mas depois de um tempo de relacionamento com o Crediamigo, podem ser liberadas linhas de crédito também para reformas dos estabelecimentos ou outras ações individuais”, contou Lana.

Para ter direito ao crédito, o microempresário precisa ter, no mínimo, seis meses de atividade produtiva e renda anual de até R$ 200 mil – cerca de R$ 16 mil mensais. A regra vale tanto para autônomos como para lojas físicas e virtuais. Os documentos exigidos são RG, CPF e comprovante de residência. Ter o nome “sujo” não é um impedimento, mas a situação será ponderada durante a análise.

Parceria
O Negócio Pop é um empréstimo solidário, ou seja, o empreendedor terá que se associar a outras três pessoas para conseguir o dinheiro. A união voluntária é uma forma de evitar a necessidade de apresentar garantias. O valor dos primeiros empréstimos varia entre R$ 100 e R$ 6 mil, para cada microempresário, e a responsabilidade pelo pagamento será conjunta.

O pagamento pode ser feito em até 6x nos primeiros empréstimos e depois ampliado para até 12 parcelas. A primeira deve ser quitada entre 30 e 45 dias, dependendo do tipo de negócio e do montante. A transação pode ser repetida até três vezes por ano.

Segundo o BNB, a média das parcelas em Salvador é de cinco. Em 72% dos casos, quem empreende é  mulher – no Brasil, elas são 67%.

Fonte: Correio da Bahia

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here